Deepstop

Aventuras e observações de um novo mergulhador

stacks_image_B9AF66D9-1421-4848-B6C5-286F199A81F2
Em abril de 2008 fomos a Cuba para 10 dias de praia, mergulho e passeios por La Habana. As mudanças em Cuba são provavelmente iminentes e eu gostaria de ir antes que ocorressem.

Na viagem visitamos Cuba e depois Curaçao. Chegar lá não foi muito fácil, pegamos um vôo da TAM do Rio de Janeiro para Caracas com várias escalas, a noite toda de viagem. A chegada ao aeroporto de Caracas não é das mais amigáveis, diversas pessoas nos abordando para fazer câmbio, não precisávamos de bolívares, então logo saímos para fazer o check in na Cubana e continuar viagem direto a La Habana onde um carro nos esperava para ir a Varadero, nosso primeiro destino.

A conexão em Caracas foi um desastre com vários contratempos: para sair da área internacional e retornar após o check in precisaríamos pagar um imposto de aproximadamente US$ 100 por pessoa. Como as malas não haviam sido despachadas até o destino final não tivemos escolha senão sair e pagar. Era muito cedo para nosso vôo, então ficamos esperando no aeroporto, umas 3 horas antes do vôo abriu o check in da Cubana, neste momento já havia uma fila quilométrica, o check in estava sendo todo feito de forma manual pois o sistema estava fora do ar, fizemos check in já quase na hora do vôo, com medo de ficar para trás de tanta gente que havia na nossa frente na fila, com tanta bagagem que parecia que estavam levando a casa junto.

O pessoal da companhia pediu para irmos rapidamente para a sala de embarque, para nossa surpresa quando chegamos lá fomos informados que o avião não havia nem saído de Cuba, portanto após a noite toda viajando do Brasil para Caracas passamos o dia todo esperando no aeroporto sem muitas informações e sem conseguir falar com a agência em Cuba que estava nos esperando com o carro para Varadero.

Finalmente a noite o avião chegou e recebeu muitos aplausos de todos os cubanos no aeroporto. Não sabia exatamente o que esperar da Cubana, mas fiquei surpreso com um Tupolev bastante novo e muito confortável e com o ótimo serviço de bordo. Finalmente as 2:00 da manhã, com umas 12 horas de atraso chegamos a Cuba e umas 2 horas mais tarde a Varadero.
stacks_image_7F1C1BE2-2813-473A-B7D7-FD3479B87306
Varadero

Nosso roteiro incluia três dias em Varadero, quatro em Cayo Largo e três dias em La Habana e havíamos marcado um dia de mergulho em Varadero e três em Cayo Largo.

A praia de Varadero bastante bonita, areia branca, mar azul e além da área dos resorts há uma pequena cidade com hotéis menores. Ficamos em um dos hotéis entre a cidade e a ponta da península, bom, mas nada de espetacular.

Aproveitamos o primeiro dia para curtir a praia e alugamos um scooter para ir até a cidade e passear no restante da península.

View Deepstop Baía de Porcos in a larger map
Nosso mergulho estava marcado para o segundo dia em Varadero, seriam dois mergulhos de barco saindo da Marina. Ficamos aguardando bem cedo no saguão do hotel o ônibus que viria nos buscar. Ao chegarmos na operadora nos informaram que a saída embarcada havia sido cancelada devido ao mal tempo e que iríamos fazer um mergulho na Baia dos Porcos, teríamos que atravessar a ilha de ônibus e o programa que seria originalmente de uma manhã transformou-se no dia todo.

Apesar da longa viagem de ônibus - umas 2 horas - valeu a pena o passeio por dois motivos: o mergulho na Baía de Porcos foi incrível um mergulho de praia com um paredão muito bonito e também porque cruzamos vários vilarejos na zona rural de Cuba que não teríamos tido chance de ver em um programa turístico "convencional".

A saída do mergulho na Baía de Porcos é da praia, aí a primeira surpresa. Há uma grande quantidade de caranguejos por toda a praia, eles andam por tudo e até dentro da bolsa de mergulho encontrei um na hora de equipar. Tem que se tomar cuidado por onde anda e onde coloca os cilindros para não matar os caranguejos.

Na volta também encontramos tantos caranguejos na estrada que o ônibus não tinha como desviar e atropeleu vários.

stacks_image_FCCFBE65-5552-4DE5-8333-3186F77B72C6
Cayo Largo

Depois de mais um dia em Varadero fomos para Cayo Largo, o plano inicial era fazer três dias de mergulho, mas nosso vôo atrasou e perdemos o primeiro dia. No final mergulhamos por dois dias fazendo três mergulhos em cada dia.

Cayo Largo é uma ilha ao sul da ilha de Cuba e com exceção dos resorts é praticamente desabitada. Os funcionários dos hotéis moram na ilha principal, normalmente em La Habana, e vão para Cayo Largo para trabalhar em turnos de 15-20 dias.

Cayo Largo tem várias praias desertas e paradisíacas. Ficamos hospedados em um dos resorts e alugamos um scooter para irmos a marina para as saídas de mergulho e para irmos a praia.

Os pontos de mergulho são todos bastante próximos da marina e a operadora tem uma lancha rápida, então costuma voltar a marina depois de cada mergulho, muitas vezes alguns mergulhadores se juntam ao grupo para o segundo ou terceiro mergulho somente, assim como outros deixam o barco após o primeiro ou segundo mergulho.
stacks_image_91065E89-C366-4098-86FB-28488CD31238
Fizemos seis mergulhos incríveis em dois dias em Cayo Largo: Cañon de Martin, Las Cuberas, La Barrera, Barco Hundido, Acuário III e La Barrera II.

A única operadora de Cayo Largo é bastante bem estruturada, com uma lancha rápida que garante uma navegação confortável, tanque para lavar os equipamentos e duchas para tomar banho além de um quadro com todos os mergulhos programados para a semana, incluindo profundidade máxima, excelente para fazer o planejamento.

O barco não oferece lanche porém o capitão pergunta no início do dia quem vi querer uma lagosta assada, ele então desce no meio do caminho para o ponto de mergulho para capturar somente as lagostas que serão servidas no dia.

stacks_image_E1616C74-19D8-4BA8-98FF-54EC7C1691DA
La Habana

Em Cayo Largo terminou nossa temporada de mergulhos em Cuba, o próximo destino é La Habana onde não vamos mergulhar.

Ficamos hospedados no hotel Habana Libre, antes da revolução era o Hilton de Havana, foi o hotel usado por Fidel para implantar o primeiro governo revolucionário. O hotel mantém o estilo moderno dos anos 50 e apesar de estar um pouco "caído" é uma ótima opção de hospedagem em Havana, tanto pelo hotel quanto pela localização.

La Habana é bem diferente dos outros locais "turísticos" que havíamos visto em Cuba, o grande programa é caminhar pela cidade, tanto pela parte mais autêntica quando por Habana Vieja, que está sendo amplamente restaurada mas que por isso mesmo está um pouco "fake", especialmente quando comparada com o resto da cidade.

Além de caminhar pela cidade uma visita ao Capitólio e a uma fábrica de charutos são programas bem interessantes na cidade.

De modo geral gostei da cidade e satisfiz meu desejo e curiosidade de conhecer, mas não tenho planos de voltar lá por alguns anos. Daqui a alguns anos seria interessante voltar para ver as mudanças.